out 26

26 outubro 2020

1.482 pessoas tiveram cura da Covid segundo o Boletim do Hospital Unimed Caruaru

 

O Hospital Unimed Caruaru (HUC) informa que, até o momento, atendeu mil seiscentos e nove (1.609) casos confirmados para a COVID-19. Destes, seis pacientes, sendo quatro de Caruaru, um de Santa Cruz do Capibaribe e um de Bezerros estão internados em nossa unidade, noventa e um encontram-se em isolamento domiciliar, mil quatrocentos e oitenta e dois obtiveram a cura da doença e trinta vieram a óbito.

Além desses casos, temos em nossa instituição quatro pacientes com suspeita da COVID-19, em acompanhamento médico.

Em respeito à privacidade dos pacientes, a Unimed Caruaru esclarece que não divulga outros detalhes. A informação é fornecida apenas para os órgãos de autoridade de saúde.

Colaboração de Letícia Maria

Compartilhe:

Postado em Notícias | Por

out 26

26 outubro 2020

Gonzaga Patriota defende fortalecimento do SUS com criação da Frente Parlamentar Mista no Congresso

Iniciativa pretende ampliar os recursos orçamentários para a estruturação da saúde pública. O objetivo é garantir a qualidade do atendimento aos pacientes, especialmente no período pós-pandemia

O deputado federal Gonzaga Patriota (PSB) foi um dos parlamentares que assinou a lista para criação da Frente Parlamentar Mista pelo Fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS), que pretende ampliar os recursos orçamentários para a estruturação da saúde pública. O objetivo é garantir a qualidade do atendimento aos pacientes, especialmente no período pós-pandemia.

Defender o SUS é defender a saúde e a qualidade de vida dos brasileiros. A pandemia mudou a percepção de muitas pessoas em relação ao SUS e mesmo com tantas dificuldades, o Sistema conseguiu salvar vida. Os profissionais estão lutando diariamente ainda para enfrentar essa doença e o nosso papel é buscar investimentos e valorizar o trabalho que eles estão realizando”, destacou Patriota.

Para a criação de uma frente parlamentar, são necessárias ao menos 171 assinaturas, que devem ser encaminhadas à Mesa Diretora, junto com o estatuto do grupo. A frente parlamentar foi proposta pelo deputado Márcio Jerry (PCdoB), vice-líder do PCdoB na Câmara; e pelo senador Weverton Rocha (MA), líder do PDT no Congresso. O colegiado reúne o apoio de outros 190 deputados e mais 20 senadores, de 23 partidos diferentes.

Deputado Federal Gonzaga Patriota
Assessoria de imprensa
Compartilhe:

Postado em Política | Por

out 26

26 outubro 2020

[AMANHÃ] Dia Nacional de Luta pelos Direitos das Pessoas com Doença Falciforme

Divulgação

Crises intensas de dor e desamparo afetam 91% dos pacientes com a doença hereditária mais prevalente no Brasil

Em 27 de outubro, Dia Nacional de Luta pelos Direitos das Pessoas com Doença Falciforme, brasileiros reiteram necessidade de melhor assistência e atenção do poder público

São Paulo, outubro de 2020 – Esta importante data para quem tem Doença Falciforme (DF) marca uma luta por melhores condições e mais representatividade. A DF é considerada a disfunção hereditária mais comum no Brasil, embora 47% da população declaram nunca ter ouvido falar da doença, conforme pesquisa realizada pelo IBOPE Inteligência com dois mil brasileiros conectados[i]. No Brasil, a estimativa é de 3.500 novos casos da doença por ano.[ii]

Apesar de pouco conhecida, a DF causa impactos diretos na qualidade de vida e produtividade, conforme revelam dados de um levantamento internacional que avaliou o impacto da doença na vida de mais de dois mil pacientes de 16 países (incluindo brasileiros, como o quarto maior país). Segundo os respondentes, 51% relataram que a doença afetou negativamente seu desempenho escolar e afirmam ter perdido, em média, mais de um dia de trabalho por semana (8,3 horas em 7 dias) por conta da disfunção[iii].

Nesse sentido, entre os brasileiros ouvidos pelo IBOPE, é quase unânime (94%) a percepção da necessidade de investimento em parcerias com o poder público para oferecer um tratamento de qualidade aos pacientes[iv]. “A doença é crônica e sistêmica e, por isso, a colaboração dos diferentes setores do sistema de saúde é imprescindível para encontrar um caminho para a solução, que realmente melhore a qualidade de vida desses pacientes”, afirma Dr. André Abrahão, diretor médico da Novartis Oncologia.

A condição hereditária faz com que os glóbulos vermelhos – responsáveis por transportar oxigênio no sangue – mudem de formato e se rompam com facilidade. Isso gera crises de dor forte provocadas pelo bloqueio do fluxo sanguíneo e pela falta de oxigenação nos tecidos, as Crise Vaso-Oclusivas (CVOs); fadiga intensa; palidez e pele amarelada; problemas neurológicos, cardiovasculares, pulmonares e renais; tendência a infecções[v]; entre outros sintomas.

Entre os entrevistados pelo IBOPE que dizem conhecer a doença, 6 em cada 10 não sabem que a disfunção leva os pacientes à internação e que exigem uso de medicações anestésicas fortes. “As crises de dor fazem com que muitos pacientes precisem de hospitalização e estudos indicam que o número de CVOs está relacionado à taxa de mortalidade. Ou seja, quanto mais crises o paciente tem, maior seu risco de morte[vi] e menor a expectativa de vida,[vii] que é 20 anos menor quando comparada ao restante da população”, alerta Abrahão.

A falta de informação sobre a DF contribui com que os pacientes enfrentem inúmeras dificuldades: física, econômica e emocionalmente. “Pouco se fala sobre isso, mas a doença afeta muito o dia a dia dos pacientes, muitos se sentem ansiosos, têm problemas em terminar os estudos, em manter um emprego, entre muitos outros obstáculos”, revela Dra. Marimilia Pita, médica hematologista-pediátrica do Hospital Samaritano de São Paulo e fundadora do projeto Lua Vermelha, que visa trazer visibilidade à doença e à luta dos pacientes.

Ainda de acordo com o estudo internacional feito com pacientes com DF, mais de quatro a cada dez pacientes declaram que a DF causa alto impacto na vida familiar ou social.[viii] Por conta disso, os entrevistados declaram ainda que: 58% sentem-se preocupados com a progressão e piora da sua doença; 48% sentem medo de morrer; 45% sentem-se deprimidos e 44% desamparados e frequentemente ansiosos e nervosos[ix].

Para Sheila Ventura, que além de paciente da Doença Falciforme, também entrou na luta desta causa por meio da APROFe (Associação Pró-Falcêmicos) como presidente, a rede de apoio é essencial para que os pacientes se sintam mais acolhidos e melhorem o seu prognóstico. “A melhor forma de acolher esses indivíduos é entendendo melhor sobre a condição, sendo empático e os ajudando a terem acesso a melhor assistência possível. O Dia de Luta dos Pacientes com Doença Falciforme deve ser lembrado e divulgado por conta disso”, finaliza.

Sobre a pesquisa do IBOPE Inteligência

O levantamento “Percepção dos brasileiros sobre a Doença Falciforme” entrevistou 2.000 brasileiros conectados, incluindo homens e mulheres, de 16 anos ou mais. O levantamento foi realizado pelo IBOPE Inteligência em maio de 2020.

Sobre a SWAY – Sickle Cell World Assessment Survey

Pesquisa internacional, multinacional e transversal, que avaliou o impacto da doença falciforme (DF) na vida dos pacientes, em novembro de 2019. O levantamento foi realizado com mais de 2.145 pacientes com doença falciforme de 16 países, incluindo 260 brasileiros.

 

Sobre a Novartis

A Novartis está reimaginando a medicina para melhorar e prolongar a vida das pessoas. Como empresa líder mundial em medicamentos, usamos ciência inovadora e tecnologias digitais para criar tratamentos transformadores em áreas de grande necessidade médica. Em nossa busca de encontrar novos medicamentos, estamos constantemente entre as principais empresas do mundo que investem em pesquisa e desenvolvimento. Os produtos Novartis atingem quase 800 milhões de pessoas em todo o mundo e estamos descobrindo maneiras inovadoras de expandir o acesso aos nossos tratamentos mais recentes. Cerca de 109.000 pessoas de mais de 145 nacionalidades trabalham na Novartis em todo o mundo. Saiba mais em https://www.novartis.com.

Colaboração

Leila Justo

Compartilhe:

Postado em Artigo | Por

out 26

26 outubro 2020

Encontro discute questões racial e de saúde mental no contexto da infância e juventude

As palestras fazem parte da programação do último webinário da Jornada do Desenvolvimento Infantil, evento que acontece no canal do Youtube da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude

A Jornada do Desenvolvimento Infantil chega em sua última semana abordando as temáticas de raça e saúde mental. Os temas serão tratados pela educadora e contadora de histórias Kemla Baptista e o psiquiatra Gustavo Arribas, respectivamente, que vão expor o assunto dentro da vivência e do contexto das crianças e adolescentes. As palestras são abertas ao público e acontecem nesta terça-feira (27), às 14h, no canal do Youtube da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ) no link youtube.com/secdesenvolvimentosocial.

“Os temas que fecham a Jornada do Desenvolvimento Infantil trazem discussões muito importantes. As questões de igualdade racial e de saúde mental são assuntos que precisam ser esclarecidos com as crianças e adolescentes tanto para empoderá-las quanto para identificar possíveis situações de adoecimento”, pontua Macdouglas de Oliveira, gerente estadual de Políticas para a Criança e coordenador da Jornada.

A programação da última semana também inclui a live “Institucionalização e acolhimento das crianças e adolescentes – reflexões, desenvolvimento e desafios”, com Alice Bittencourt, membro da Associação de Pesquisadores e Formadores da Área da Criança e do Adolescente NECA. O bate-papo acontece na quinta-feira (29), às 16h, no perfil da SDSCJ no Instagram, através do link instagram.com/sdscj.govpe.

 Construída pelas Secretarias Executivas de Criança e Juventude e Assistência Social, a Jornada do Desenvolvimento Infantil tem como norteador o Programa Atenção Redobrada, que desenvolve ações de prevenção, articulação, sensibilização e enfrentamento ao trabalho infantil, à exploração sexual, o consumo de substâncias psicoativas e a venda de bebidas alcoólicas e outras violações de direitos a crianças e adolescentes.

Confira a programação completa da última da semana da II Jornada de Desenvolvimento Infantil abaixo:

Webinário no canal do Youtube da SDSCJ

27/10, das 14h às 16h – Desenvolvimento Infantil: Diálogos Necessários

Igualdade Racial e empoderamento da negritude: como dialogar com nossas crianças? (Kemla Baptista);

Saúde Mental em crianças e adolescentes: quais os fatores de risco, como e onde acolher? (Gustavo Arribas).

Live no Instagram da SDSCJ

29/10 – Institucionalização e acolhimento das crianças e adolescentes – Reflexões, desenvolvimento e desafios

Às 16hr, no perfil do Instagram da SDSCJ [@sdscj.govpe]

Participação de Alice Bittencourt, membro do Conselho Gestor da Associação de Pesquisadores e Formadores da Área da Criança e do Adolescente (NECA)
ASCOM
Compartilhe:

Postado em RECIFE | Por

out 26

26 outubro 2020

PCR estende horário de unidades de saúde na última semana de campanhas de vacinação

 

Desta segunda (26) até a sexta-feira (30), oito unidades do município vão se revezar no horário estendido, que acontece das 8h às 21h

Para dar mais uma opção para quem tem dificuldade em buscar vacinação no horário comercial, a Prefeitura do Recife vai estender o horário de oito unidades de saúde do município a partir desta segunda-feira (26). A ação, que segue até a sexta-feira (30), marca a última semana de três campanhas de imunização que estão acontecendo na cidade, voltadas a crianças de 1 ano a menores de 5 anos contra poliomielite, crianças e adolescentes menores de 15 anos para atualização da caderneta de vacina, e pessoas de 20 a 49 contra o sarampo. As unidades vão se revezar no horário estendido, que vai acontecer das 8h às 21h.

A cada dia, duas unidades vão ficar abertas até às 21h. Na segunda (26), será a Policlínica Salomão Kelner, em Água Fria, e o Centro de Saúde Joaquim Cavalcante, nos Torrões. Na terça (27), as Policlínicas Albert Sabin, na Tamarineira, e Gouveia de Barros, na Boa Vista, vão funcionar até mais tarde. Por conta do feriado do dia do servidor público, na quarta-feira (28), não haverá vacinação em nenhum local. Já na quinta (29), a população pode se imunizar à noite no Centro de Saúde Gaspar Regueira Costa, no Barro, e na Upinha Rio da Prata, no Ibura. Na sexta (30), a vacinação acontece nas Policlínicas do Pina e Clementino Fraga, no Vasco da Gama.

Para evitar a concentração de pessoas apenas nessas unidades, a Sesau orienta que quem tiver disponibilidade no horário comercial deve procurar a unidade de saúde mais perto de sua casa. As vacinas continuam sendo oferecidas nas mais de 140 unidades de saúde do Recife, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. A lista das salas de vacinação está disponível no site da Prefeitura do Recife (https://bit.ly/37xKNAN).

Desde o começo da Campanha Nacional de Vacinação Contra Poliomielite, iniciada no último dia 5, o Programa de Imunização (PNI) do Recife aplicou pouco mais de 21 mil doses da vacina, o que representa uma cobertura vacinal de 26%. A meta do município é vacinar pelo menos 95% das mais de 80 mil crianças de 1 ano a menores de 5 anos na capital, mesmo que elas já tenham tomado a vacina anteriormente.

A Sesau recebeu mais de 80 mil doses da vacina de pólio enviadas pelo Ministério da Saúde (MS). O esquema de vacinação da pólio é composto por três doses da vacina injetável aos 2, 4 e 6 meses de idade, além de reforço com a vacina oral aos 15 meses e aos 4 anos de idade.

Outro público-alvo do Dia D, as crianças e adolescentes menores de 15 anos também devem ir até as unidades de saúde para atualizar a caderneta de vacinas. Desde o começo do mês, a Sesau iniciou a Campanha Nacional de Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacina, que oferece 17 imunizantes do calendário vacinal, como BCG, meningocócica, febre amarela, HPV, pentavalente, rotavírus, pneumocócica, varicela, hepatites A e B, DTP e outras.

A orientação da Secretaria é que os pais ou responsáveis levem o cartão de vacina para que os profissionais do Programa de Imunização (PNI) do Recife avaliem a necessidade de cada um, de acordo com a idade e as doses já tomadas. Diferentemente da campanha contra poliomielite, como essa campanha é seletiva, não há meta estipulada pelo MS.

Já a Campanha Nacional de Vacinação Contra o Sarampo é voltada para todas as pessoas de 20 a 49 anos, mesmo que já tenham tomado a vacina tríplice viral anteriormente. O PNI Recife aplicou quase 29 mil doses da vacina, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola, em adultos nessa faixa etária.

Ainda podem se vacinar as crianças e jovens de 5 a 19 anos que nunca tomaram a tríplice viral ou não tenham comprovação de ter completado o esquema vacinal recomendado, seja na infância ou em outro momento da vida. Quem está com as doses em dia, já teve sarampo ou tem mais de 50 anos não precisa se preocupar.

Fotos: Ikamahã/Sesau PCR

ASCOM

Compartilhe:

Postado em RECIFE | Por