Publicidade


Acervo de quase 200 anos do Diario de Pernambuco será restaurado e digitalizado pela UFPE

19 mar 2022|Postado em:Notícias, RECIFE


Publicidade

 

Acervo de quase 200 anos do Diario de Pernambuco será restaurado e digitalizado pela UFPE

Foto: Sandy James / DP Foto

Os encaminhamentos para o processo de restauro do acervo do Diario de Pernambuco, o jornal impresso mais antigo em circulação da América Latina, tiveram início nesta quarta-feira (16). A parceria firmada com Termo de Cooperação Técnica e Científica entre o jornal e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) vai proporcionar a recuperação e conservação de exemplares, inclusive do século 19, período em que o Diario foi fundado. Após a fase de restauração, todos os periódicos seguirão para digitalização, facilitando acesso e visualização dos mesmos em ambiente virtual seguro. Os exemplares físicos serão devidamente armazenados em local propício.

Toda informação, história e memória presentes nos folhetos do Diario de Pernambuco, instituído no ano de 1825, que demonstram desgaste em decorrência da ação do tempo e de seu material, passará por etapas para sua reconstrução. “É um processo de resgate, de preservação e de acesso. Este ciclo começa no resgate, onde se encontra todo o processo de preparação, higienização e recuperação do material. Em muitos casos, esses volumes passam pela conservação e restauro. Quando eles já estão equilibrados e estabilizados, podem ser digitalizados. Depois do tratamento de digitalização, tem um processo de custódia, uma guarda para fins de preservação digital, feito dentro de um conjunto de regras e protocolos internacionais. A terceira e última parte do procedimento é a construção de um banco de dados e a disponibilização desse material na rede de alcance mundial para um acesso universal”, explicou o professor de pós-graduação em Ciências da Informação e coordenador do Laboratório Liber, da UFPE, Marcos Galindo.

O professor ainda descreve o processo que resulta no desgaste dos periódicos e o quanto de restauração será relevante para a preservação. “O material sofre um processo de desintegração em função de vício intrínseco do papel, que foi construído com pasta química e ácido. Então, não se deve estar manuseando este impresso, apenas em ocasiões muito específicas, muito especiais. A digitalização é justamente para evitar o manuseio e ampliar o acesso a esse patrimônio cultural que está guardado e conservado nas páginas do Diario há quase 200 anos”, ressaltou.

De acordo com Marcos Galindo, todo conhecimento registrado a partir da cobertura da Política, da Economia, da Educação, da Cultura, da Literatura, das Artes presentes nas páginas do jornal são valiosos para a sociedade. “Pernambuco conduziu a economia do país durante quase 400 anos, então construiu uma tradição. Temos as primeiras escolas, os primeiros jornais publicados. Pernambuco, teve a economia mais pujante do país até o século 19, então é natural que essa economia tenha gerado um desenvolvimento social, memória e patrimônio. O Diario de Pernambuco, na verdade, é o reflexo dessa memória, ele é onde a sociedade depositou partes importantes dessa memória. Recuperar os volumes é importante para o Diario como empresa, isso é atestado de sua função cultural, social. Mas, ele é muito mais importante para o país e Pernambuco, para o que a gente chama de Nação Pernambuco”, reforça.

Toda restauração será feita pelo Laboratório Liber, associado ao Departamento de Ciência da Informação (DCI) da UFPE. O processamento de restauração será realizado por lotes dos periódicos. Nesta quarta-feira (16) foram enviados 21 exemplares à Universidade para serem recuperados. “Resgatamos para o Laboratório um primeiro lote de livros do acervo para avaliar o que precisa ser feito. Alguns volumes somente com a higienização e a leitura já vão ser digitalizados. Outros, que precisarão de um tratamento anterior de estabilização, de conservação, de restauro, vão demorar um pouco mais. Estamos buscando fundo com organizações nacionais e internacionais para tentar desenvolver justamente esse procedimento de conservação, restauro”, afirmou o professor.

 

Os envolvidos na parceria para a conservação estão captando mais investimentos para que a equipe do Laboratório Liber no projeto possa aumentar e acelerar os trabalhos. “O nosso grupo é de oito pessoas, que estão envolvidas diretamente, entre pesquisadores e estudantes. Temos pelo menos quatro professores ligados ao processo, além disso foi constituído um grupo de pesquisadores nas redes sociais, que têm interesse nesse projeto. A gente estima que isso vai ser um trabalho bem demorado e o tamanho da equipe depende da disponibilidade de fundos. Se conseguirmos mais recursos, o grupo será maior e o procedimento será mais rápido”, pontuou Galindo.

O professor lembra que o jornal já passou por um processamento de microfilmagem conduzido, há décadas, pelo jornalista Leonardo Dantas Silva. A proposta atual, que tem como enfoque a digitalização do arquivo informativo, aprimora e reforça os fins de preservação, além de agilizar a disponibilização do material ao público. “Temos uma previsão que o processo que envolve Diario de Pernambuco e outros jornais vai durar mais de dez anos, contando o procedimento de restauração, envolvendo todo ciclo. Mas, as pessoas não vão ter que esperar este período para ver os jornais, uma parte disso já vai está sendo disponibilizada imediatamente, talvez nos próximos meses já tenha algum material para entregar”.

Por ser o jornal de quase 200 anos de trajetória, o professor Marcos Galindo destaca que pode ser possível que falte alguns volumes nas coleções que estão sendo recuperadas, por isso, outras instituições vão cooperar com a reconstrução do acervo do Diario. O pesquisador ainda enfatiza a grandiosidade que o procedimento de restauro trará. “Acentuar a relevância cultural desse patrimônio não é uma coisa do Diario de Pernambuco, não é uma coisa de Pernambuco, é um patrimônio de interesse da América Latina, dos países falantes de língua portuguesa”, afirmou.

 

Fonte: Diario de Pernambuco

Compartilhe:

Deixar uma resposta


You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*


%d blogueiros gostam disto: