Publicidade

Publicidade


Através da campanha “Menina Ajuda Menina”, Prefeitura do Recife e Cruz Vermelha articulam entrega de absorventes

22 mar 2022|Postado em:RECIFE

 

Através da campanha "Menina Ajuda Menina", Prefeitura do Recife e Cruz Vermelha articulam entrega de absorventes

https://www.diariodepernambuco.com.br/ultimas/2022/03/atraves-da-campanha-u201cmenina-ajuda-menina-u201d-prefeitura-do-rec.html

A Prefeitura do Recife, em parceria com a Organização Cruz Vermelha Brasileira, irá promover a distribuição de mais de 200 mil absorventes à mulheres e adolescentes que vivem em situação de vulnerabilidade e risco social e são acompanhadas pelos serviços da Assistência Social, além de mulheres vítimas de violência doméstica, atendidas pelos serviços da Secretaria da Mulher do Recife e pessoas atendidas na rede municipal de saúde. A campanha promovida pela Cruz Vermelha é chamada Menina Ajuda Menina, e é uma parceria com a Always Brasil, que está entregando absorventes em todo o país, visando enfrentar o cenário de pobreza menstrual no Brasil.

A assinatura do termo de doação foi realizada nesta segunda-feira (21) pelo prefeito do Recife, João Campos, e pelo presidente da entidade, Julio Cals.

A entrega do material pela organização internacional ocorre por meio das secretarias da Mulher, de Saúde, Desenvolvimento Social, Direitos Humanos, Juventude e Políticas sobre Drogas para unidades da assistência social. Ao todo, a doação contempla 25.092 pacotes com 200.736 unidades do item básico.

“Que mais ações como essas possam ser replicadas. Afinal de contas, a solidariedade, a empatia e a iniciativa de uma instituição tão séria como a Cruz Vermelha é algo muito importante e que a gente agradece em nome do Recife”, afirmou o prefeito do Recife, João Campos.

“Tenho certeza de que uma doação como essa pode ser a coisa mais importante na vida de quem precisa. Não só pelo fato material, mas pelo fato de saber que também pode contar com a Prefeitura do Recife, com a solidariedade, com o cuidado e com a atenção. Além da doação material, é saber que nessa caminhada de tanto preconceito, de tanta exclusão, de tanta dificuldade de se viver numa sociedade que é machista, que é preconceituosa, que é excludente, a gente consegue enfrentar algumas lutas e batalhas de maneira compartilhada. Eu não tenho propriedade para falar disso, mas que a gente possa saber ouvir das mulheres, como é que a gente pode ajudar para construir a solução junto”, completou João Campos.

Na rede de assistência social, a distribuição será nas casas de acolhida, os Centros de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro POP) e os Centros de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS). Um dos locais beneficiados é a Casa de Acolhida Recomeço, que fica em Campo Grande e é gerenciada pela Prefeitura do Recife desde 2013. As mulheres em situação de rua atendidas pelo Serviço Especializado de Assistência Social (SEAS) e pelo Centro POP também receberão os absorventes. Nos CREAS, serão beneficiadas as adolescentes que cumprem medidas socioeducativas e são acompanhadas pelos profissionais do equipamento.

MENSTRUAÇÃO AINDA É TABU

Segundo uma pesquisa feita pela própria empresa Always, uma em cada quatro jovens não se sente confortável nem mesmo em falar sobre a menstruação. Mais da metade das entrevistadas (57%) afirmaram que a primeira menstruação as deixou menos confiantes. A busca por informação na primeira menstruação vem quase totalmente da mãe (79%). Ainda segundo a pesquisa, o absorvente foi considerado um produto de primeira necessidade. Sua falta, de acordo com as entrevistadas, afeta a confiança feminina. Porém, 29% das jovens revelaram não ter tido dinheiro para comprar produtos higiênicos para o período menstrual em algum momento de suas vidas. Nas classes DE, esse índice chega a 33%.

ESPAÇOS NO RECIFE 

Unidades de Acolhimento – As Unidades de Acolhimento atuam conforme o que está previsto na Política Nacional de Assistência Social (2004) e na Tipificação Nacional dos Serviços Socioassistenciais (2009), oferecendo Proteção Integral e trabalhando no sentido de garantir a reinserção familiar e comunitária dos usuários acolhidos, com funcionamento 24 horas, ofertando moradia, seis refeições diárias, espaço para guarda de pertences, atendimento psicossocial com encaminhamentos para rede de serviços socioassistenciais, disponibilizando todo suporte ao usuário enquanto durar o acolhimento.

Atualmente, a rede do Recife conta com seis casas para crianças e adolescentes (Doce Lar, Acalanto, Acolher, Aconchego, Novos Rumos e Raio de Luz), quatro casas para adultos e famílias (Casa de Passagem Diagnóstica, Josué de Castro, O Recomeço e Centro de Reintegração Social-CRS), três casas para idosos (Porto Seguro, Iêda Lucena e Edusa Pereira) e um espaço  de acolhimento para situações de emergência (Abrigo Travessa do Gusmão e Abrigo Irmã Dulce).

 

Fonte: Diario de Pernambuco

Compartilhe:

Deixar uma resposta


You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*


%d blogueiros gostam disto: