Publicidade


Representantes do Facebook conhecem Projeto Navegar é Preciso

29 maio 2018|Postado em:Notícias

A empresa investiu cerca de R$ 220 mil no projeto da Prefeitura do Recife que promove aulas de informática para pessoas idosas

Representantes do Facebook visitaram, nesta terça-feira (29), o Centro Comunitário da Paz (Compaz) Eduardo Campos, no Alto Santa Terezinha, para conhecer o Projeto Navegar é Preciso, que promove aulas de informática para pessoas idosas. A empresa doou cerca de R$ 220 mil para o projeto da Prefeitura do Recife. Desse total, cerca de R$ 20 mil foram destinados ao Fundo Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa (FMDPI), que é administrado pelo Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa do Recife (Comdir).

O Facebook também doou mais de R$ 160 mil para a qualificação da rede de acolhimento de crianças do Recife. Aproximadamente R$ 15 mil foram destinados ao Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FMCA), que é gerido pelo Conselho Municipal de Defesa e Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica). Os dois conselhos são órgãos vinculados administrativamente à Secretaria de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos (SDSJPDDH) da Prefeitura do Recife, mas que também são formados por representantes da sociedade civil. Os recursos destinados aos fundos municipais (que são contas bancárias criadas por lei) são investidos em iniciativas de atendimento, defesa e promoção dos direitos das crianças, adolescentes e das pessoas idosas, por meio de parcerias com organizações da sociedade civil.

Segundo o diretor de Políticas Públicas do Facebook no Brasil, Murillo Laranjeira, esta é a primeira vez que o Facebook está aportando recursos através das leis de incentivo fiscal. “Esta é a primeira vez que o Facebook realiza uma doação com recurso incentivado no Brasil. Escolhemos apoiar o projeto Navegar é Preciso porque acreditamos que levar conectividade às pessoas é uma forma de transformação social. O projeto de educação digital para idosos está alinhado com a nossa missão de dar às pessoas o poder de criar comunidades e aproximar o mundo”, disse Murillo, que estava acompanhado de Andréa Leal, gerente de Políticas Públicas do Facebook.

A secretária de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos do Recife, Ana Rita Suassuna, explicou aos representantes do Facebook que o projeto Navegar é Preciso foi criado pela Prefeitura do Recife em 2014, sendo desenvolvido pela SDSJPDDH e pela Secretaria Municipal de Educação. Cerca de 300 pessoas idosas já foram beneficiadas com as aulas de noções básicas de informática, que são divididas em três módulos: internet e redes sociais, edição de texto e planilhas eletrônicas. São, em média, seis meses de aulas, duas vezes por semana.

Essa parceria da Prefeitura do Recife com o Facebook é muito importante porque vai potencializar esse projeto voltado à inclusão digital da pessoa idosa. Com os recursos, vamos poder ampliar e qualificar o projeto, comprando mais equipamentos, aumentando o número de alunos atendidos e levando as aulas para outros espaços da cidade. Captações de recursos como esta são muito importantes porque fortalecem os fundos municipais e a atuação dos conselhos municipais, que são os responsáveis pela administração desses fundos para investir nas suas políticas públicas. Tanto o cidadão quanto os empresários podem fazer essas doações”, explicou a secretária, que recebeu os representantes do Facebook junto com o secretário de Segurança Urbana do Recife, Murilo Cavalcanti, responsável por apresentar toda estrutura do Compaz aos visitantes.

A gerente da Pessoa Idosa do Recife, Cacilda Medeiros, o secretário-executivo de Tecnologia na Educação do Recife, Francisco Luiz dos Santos, e a diretora da Unidade de Tecnologia na Educação e Cidadania (Utec) que funciona dentro do Compaz Eduardo Campos, Ana Paula Andrade, explicaram que as atividades do Navegar é Preciso aconteciam, até então, apenas na Utec Nóbrega, na Soledade, e só passaram a ser realizadas na Utec do Compaz Eduardo Campos, no Alto Santa Terezinha, após o investimento do Facebook. Além do início da descentralização do projeto, o aporte financeiro da empresa também possibilitou a aquisição de fardamento e material didático. Ainda com o recurso, serão adquiridos mais de 40 notebooks, com os quais será possível abrir novas turmas do Navegar é Preciso.

Na Biblioteca Afrâno Godoy, onde fica a Utec do Compaz Eduardo Campos, as cerca de 30 idosas que têm aula de informática no local deram seus relatos de experiência ao diretor do Facebook. Moradora da Mangabeira, dona Telma Ribeiro, 75 anos, contou que gostou tanto das aulas que até comprou um noteebok pra usar em casa. “Estou treinando e tô aprendendo bastante. Acho a aula de informática uma coisa maravilhosa. Depois do curso, estou conseguindo me comunicar pela internet com meu irmão, que mora no Rio de Janeiro. Ainda quero aprender a pagar contas pela internet, pra não precisar mais sair de casa pra ir em banco”.

Dona Rizoneide da Costa Santos, 60 anos, disse que aprendeu, no projeto, a usar o Facebook e o Whatsapp. “Eu tinha muita dificuldade antes, mas aprendi muito e agora tô desenrolada. Tô adorando e mandando convites de amizade no Face pra todos os meus amigos. E acho melhor ter aula com as colegas da minha idade, porque fico com menos vergonha de perguntar as coisas”,disse dona Rizoneide, que é moradora do Alto Santa Terezinha.

ARTICULAÇÃO Quem fez a ponte entre a Prefeitura do Recife e o Facebook foi a Regra3, que é uma empresa de captação de recursos que sensibiliza empresários a investir em projetos sociais do Recife. A sócia-diretora da Regra 3, Carla Paes, explicou que as empresas privadas podem destinar até 9% do seu Imposto de Renda para doações a projetos sociais (até 1% pode ser doado para o Fundo da Pessoa Idosa e até 1% pode ser destinado ao Fundo da Criança e do Adolescente).

A maioria dos recursos doados através das leis de incentivo federais vai para projetos do Sul e Sudeste. Tentamos conscientizar as empresas da responsabilidade social que elas têm de transformar a realidade das comunidades, sobretudo em áreas de mais vulnerabilidade social. Para as empresas que se preocupam com responsabilidade social, é importante saber para onde vai seu dinheiro,ver que vai para um projeto que você pode tocar, ao invés de simplesmente colocar o dinheiro na mão do Governo Federal para que ele defina para onde vai a verba. Dessa forma, unimos o poder público, as empresas privadas e o terceiro setor em prol da sociedade”, explicou Carla Paes.

FUNDO DO IDOSO – Instituído em 2016, o Fundo Municipal da Pessoa Idosa já recebeu mais de R$ 1,6 milhão em doações para financiar programas e ações que assegurem os direitos das pessoas idosas, além de criar condições para promover a autonomia, integração e participação efetiva desse público na sociedade. A verba do FMPI é usada, por exemplo, para aquisição de equipamentos para as casas de acolhidas Ieda Lucena e Porto Seguro, onde vivem mais de 50 idosos; para realização de seminários e outros eventos sobre a temática da pessoa idosa, entre outros.

O FMDPI tem como objetivos promover políticas e programas de assistência social para os idosos que precisam; promover serviços especiais de prevenção e atendimento às vítimas de negligência, maus tratos, exploração, abuso, crueldade e opressão; serviço de identificação e localização de parentes ou responsáveis por idosos abandonados em hospitais e Instituições de Longa Permanência (ILP); erradicação da violência contra a pessoa idosa; realização de projetos de estudos e pesquisas de diagnósticos relativos à pessoa idosa; capacitações para profissionais que trabalhem nas ILPs e outras instituições voltadas aos idosos etc.

ACOLHIMENTO A doação do Facebook para a área da criança e do adolescente possibilitará a aquisição de móveis, brinquedos, recursos pedagógicos, utensílios e equipamentos para as quatrocasas de acolhimento institucional da PCR para crianças e adolescentes. Das 11 casas de acolhida administradas pela SDSJPDDH, quatro atendem crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade e risco social, seja por estarem em situação de rua, sob medida de proteção ou por solicitação judicial em casos emergenciais. A PCR ainda conta com dez casas de acolhida conveniadas (administradas através de convênio com entidades do terceiro setor).

Previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), o acolhimento institucional configura-se como uma medida protetiva excepcional e provisória, que visa garantir direitos fundamentais de crianças e adolescentes em situação de abandono, ameaça ou violação de direitos. A prioridade do acolhimento é a reintegração familiar. Durante o acolhimento fora do núcleo familiar de origem, tenta-se reduzir a ocorrência de risco, o agravamento dele ou a reincidência; busca-se restabelecer os vínculos familiares e comunitários ou, se não for possível, tenta-se colocar o adolescente em família substituta; busca-se favorecer a convivência comunitária; promover o acesso à rede socioassistencial, aos órgãos do sistema de garantia de direitos e às demais políticas públicas para garantir o desenvolvimento integral das adolescentes e de suas famílias; tenta-se garantir o acesso ao ensino, entre outros objetivos. O espaço deve ter um ambiente acolhedor e ter aspecto semelhante ao de uma residência.

Fotos: Irandi Souza/PCR

Sofia Costa Rêgo
Assessora de Imprensa

Compartilhe:

Deixar uma resposta


You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*


%d blogueiros gostam disto: